quinta-feira, 19 de maio de 2016

Skap - Zeca Baleiro




quando você pinta tinta nessa tela cinza
quando você passa doce dessa fruta passa
quando você entra mãe-benta amor aos pedaços
quando você chega nega fulô boneca de piche
flor de azeviche
você me faz parecer menos só
menos sozinho
você me faz parecer menos pó
menos pozinho
quando você fala bala no meu velho oeste
quando você dança lança flecha estilingue
quando você olha molha meu olho que não crê 
quando você pousa mariposa morna lisa
o sangue encharca a camisa
quando você diz o que ninguém diz
quando você quer o que ninguém quis
quando você ousa lousa pra que eu possa ser giz
quando você arde alardeia sua teia cheia de ardis
quando você faz a minha carne triste quase feliz

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Mantenha-se firme!

Quando achamos que a dor da gente é a maior do mundo, vem-me à mente: "que todo mundo sofre, ás vezes todo mundo chora." Olhe para luz que há dentro do seu coração, e seja grato ao Deus que és. Mantenhamos-nos firme!  Namaskar! _/\_

[Shana Horta]


Vídeo: Médicos Sem Fronteiras - Hold on
O MSF leva ajuda médico-humanitário as pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais,
epidemias, desnutrição e exclusão do acesso à saúde.


segunda-feira, 16 de maio de 2016

Não desista de si mesmo!

(...) 
A loucura de sentir
(...)
O paradeiro em nós
O refúgio no silêncio
Um grito dos pensamentos

[Shana Horta em "Precipício"  2 de janeiro de 2015]

Everybody Hurts

When your day is long and the night
The night is yours alone
if you're sure you've had enough of this life
Well hang on
Don't let yourself go, 'cause everybody cries
and everybody hurts, sometimes

Sometimes everything is wrong
Now it's time to sing along
When your day is night alone (hold on, hold on)
If you feel like letting go (hold on)
when you think you've had too much of this life
Well hang on

'Cause everybody hurts
Take comfort in your friends
Everybody hurts
Don't throw your hands, oh no
Don't throw your hands
If you feel like you're alone
no, no, no, you're not alone

If you're on your own in this life
The days and nights are long
When you think you've had too much
of this life, to hang on

Well everybody hurts
sometimes, everybody cries
And everybody hurts
sometimes
But everybody hurts sometimes
So hold on, hold on, hold on, hold on, hold on
hold on, hold on, hold on, hold on, hold on

Everybody hurts
You're not alone

****

Todo mundo sofre

Quando o seu dia é longo, e a noite
A noite é somente sua
Se você tem certeza [que] já teve o suficiente desta vida
Bem, persista
Não desista de si mesmo, pois todo mundo chora
E todo mundo sofre, às vezes

Às vezes tudo está errado
Nesse momento é hora de cantar junto
Quando seu dia é noite, sozinho, (Agüente, agüente)
Se você tiver vontade de desistir (Agüente...)
Se você achar que teve demais desta vida
Bem, persista


Pois todo mundo sofre
Consiga conforto em seus amigos
Todo mundo sofre
Não se resigne, oh, não!
Não se resigne
Se você sentir como se estivesse sozinho
Não, não, não, você não está sozinho


Se você está por conta própria nesta vida
Os dias e noites são longos
Quando você sentir [que] teve demais desta vida
Para persistir


Bem, todo mundo sofre
Às vezes, todo mundo chora
E todo mundo sofre
Às vezes
Mas todo mundo sofre às vezes
Então agüente, agüente, agüente, agüente
agüente, agüente, agüente, agüente


Todo mundo sofre
Você não está sozinho

terça-feira, 10 de maio de 2016

Aquilo - I don't want to see it


" ...olhos ressecados - coração em chamas...
-Uma nova melodia vêm aquietar a alma."

[S.H.]
You There

You there, you're better off here
You there, you're better off here
Funny it takes no time to fall back down
Funny it takes the time to get back up

You there, you're better off here
You there, you're better off here
Funny it takes no time to fall back down
Funny it takes the time to get back up

Uncover your eyes
Uncover your eyes
There's no sun, where is your direction?
Uncover your eyes
Uncover your eyes
Ask yourself, where is my reflection?

Uncover your eyes
Uncover your eyes
Theres no sun, where is your direction?
Uncover your eyes
Uncover your eyes
Ask yourself, where is my reflection?



Você Aí

Você aí, você está melhor aqui
Você aí, você está melhor aqui
engraçado não tem tempo para cair de volta para baixo
engraçado isso leva um tempo para voltar para cima

Você aí, você está melhor aqui
Você aí, você está melhor aqui
engraçado não tem tempo para cair de volta para baixo
engraçado isso leva um tempo para voltar para cima

Revele seus olhos
Revele seus olhos
Não há sol, onde está o seu sentido?
Revele seus olhos
Revele seus olhos
Pergunte a si mesmo, onde está o meu reflexo?

Revele seus olhos
Revele seus olhos
Não há nenhum sol, onde está o seu sentido?
Revele seus olhos
Revele seus olhos
Pergunte a si mesmo, onde está o meu reflexo?

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Rayuela

[Imagem por Marina Esmeraldo]

(...) Toco tu boca, con un dedo toco el borde de tu boca, voy dibujándola como si saliera de mi mano, como si por primera vez tu boca se entreabriera, y me basta cerrar los ojos para deshacerlo todo y recomenzar, hago nacer cada vez la boca que deseo, la boca que mi mano elige y te dibuja en la cara, una boca elegida entre todas, con soberana libertad elegida por mí para dibujarla con mi mano por tu cara, y que por un azar que no busco comprender coincide exactamente con tu boca que sonríe por debajo de la que mi mano te dibuja.

Me miras, de cerca me miras, cada vez más de cerca y entonces jugamos al cíclope, nos miramos cada vez más de cerca y nuestros ojos se agrandan, se acercan entre sí, se superponen y los cíclopes se miran, respirando confundidos, las bocas se encuentran y luchan tibiamente, mordiéndose con los labios, apoyando apenas la lengua en los dientes, jugando en sus recintos donde un aire pesado va y viene con un perfume viejo y un silencio. Entonces mis manos buscan hundirse en tu pelo, acariciar lentamente la profundidad de tu pelo mientras nos besamos como si tuviéramos la boca llena de flores o de peces, de movimientos vivos, de fragancia oscura. Y si nos mordemos el dolor es dulce, y si nos ahogamos en un breve y terrible absorber simultáneo del aliento, esa instantánea muerte es bella. Y hay una sola saliva y un solo sabor a fruta madura, y yo te siento temblar contra mí como una luna en el agua. 


[Julio Cortazar em "Rayuela"]