terça-feira, 14 de abril de 2009

Chocólotras

Apaixonados por chocolate revelam o prazer que sentem ao se deliciar com o "doce da felicidade"
Veja! A psiquiatra especialista em dependência química, Maria Célia Victor, fala sobre os mitos e verdades a respeito do chocolate.
Beijinhos =**



O estudante de Direito, Rafael Lopes, só não come mais chocolate porque engorda! Ele já chegou a pesar 23 quilos a mais do que o seu peso atual e revela que em sua reeducação alimentar permitiu a retirada de gorduras e açúcares, mas não abriu mão do chocolate. Quando ele vai viajar, além de levar roupas e acessórios, Lopes carrega um item essencial, adivinhem: o chocolate!

Assim como o estudante, os chocólatras assumidos comem a guloseima todos os dias, quase sempre nos mesmos horários. "Isso acontece porque o chocolate atua na liberação de uma substância responsável pela sensação de bem-estar, prazer e alegria, a ceratonina", explica a psiquiatra especialista em dependência química, Maria Célia Victor.

O que pouca gente sabe é que o consumo exagerado desse doce pode indicar problemas de ordem psicológica associados a quadros de depressão, ansiedade e baixa auto-estima. A representante de vendas, Michelle Magalhães, sabe muito bem o que é relaxar através do chocolate. Ela conta que todas as noites, após o trabalho, precisa comer pelo menos um. "Nos dias em que estou mais tensa e preocupada, como maior quantidade", revela.

Segundo uma pesquisa realizada pela nutricionista norte-americana, Cristian Britney, 15% dos homens e 40% das mulheres, de todo o mundo, poderiam ser considerados chocólatras. Entre as razões para o sexo frágil disparar na lista dos "devoradores de chocolate", está a constituição hormonal, que faz com que produzam menos ceratonina.

Por esse motivo, muitas mulheres sentem mais necessidade de comer o chocolate durante os períodos pré-menstruais e menstruais. Este é o caso da auxiliar de limpeza, Henriqueta Yung, que admite: "Naqueles dias, como muito chocolate!".

Outro fato muito comum entre os chocólatras é comparação da sensação de comer o chocolate com a do prazer sexual. Segundo Maria Célia, isto acontece porque a fenil-etilanina é uma substância que induz a produção de opióides endogénos, ou seja, substâncias do cérebro que causam a sensação de prazer, que também são liberadas durante o ato sexual.

A arquiteta Sabrina Beloti é outra adepta a moda "pelo menos uma vez ao dia" e recorda que na época do seu vestibular consumia barras e mais barras de chocolate.

Vontade de parar? "Nenhum chocólatra tem", assume a vendedora Marta Linhares, que ficou sem comer a delícia por um ano, período em que fez uma promessa. Logo que ela cumpriu o prometido, voltou a comer o "santo chocolate de cada dia".

Para a estudante Thalita Lopes, o único problema é a questão financeira: "Se tiver dinheiro, toda hora tô comendo. Me sinto bem assim".

A psiquiatra define: "O chocólatra é aquele que tem necessidade de estar comendo chocolate com uma certa freqüência".

Fonte:
Acessa.com

Nenhum comentário: