quarta-feira, 1 de julho de 2009

A Trindade na Umbanda-Astrológica

Na Astrologia, o signo onde o Sol está no dia de nascimento corresponde ao que as pessoas se acostumaram a chamar de “meu signo”. E, com certeza, esta é uma das coordenadas mais importantes de um mapa astral, porque é o portal onde está a luz e portatanto é o espirito, a essencia. No entanto, não é a única a merecer destaque, mesmo, que seja o principal significador de nossa Vibração Cosmica a qual usamos pra identificar nosso Orixá: ascendente, Lua e planetas, como os regentes do ascendente e do Meio-do-Céu, são também decisivos para a compreensão da personalidade de alguém. Esses outros fatores, como tambem os pontos derivados de somas, como pontos medios, Partes Arabicas, etc, são importantes pra que identifiquemos a ação das linhas.

No caso do Sol, o que está em jogo é a consciência de si mesmo e das atividades através das quais você se sente realizado e em harmonia com o propósito da sua vida. Ou melhor, a parte consciente desse propósito. Numa acepção ampla, poderíamos associar a posição do Sol à “natureza do espírito”.

Enganam-se os que pensam ser o Sol a característica mais visível/ perceptível a respeito de uma determinada pessoa. Na verdade, salvo em algumas exceções, este é o papel exercido pelo ascendente, mais determinante na expressão e nas impressões que causamos nas pessoas. É por isso que muitas pessoas teimam em dizer que tem um determinado Pai de Cabeça, só porque uma determinada Entidade age de frente na vida dele, o que faz com que os chefes de terreiro confundam qual realmente ele tem como seu Orixá de Cabeça.

A consciência da diferença entre aquilo que pensamos que somos e o modo como as pessoas tendem a nos enxergar é fundamental, qual seja o indivíduo. Naturalmente, não estou me referindo às pessoas nas quais Sol e ascendente estão num mesmo signo. Nesse caso, há praticamente uma via única de consciência e expressão. Mas, sem dúvida, o Sol é o ponto de partida para o autoconhecimento. E tem sim muitas pessoas que tem o Sol no Ascendente e fica muito mais facil de detectar o Orixá da pessoa. No entanto, uma coisa importante a se observar num horoscopo de Umbanda-Astrologica é a configuração geral. Porque não é só o signo, a casa ou aspectos que esclarecem qual é o nosso orixa, mas, a soma de todos os fatores. E mesmo que seja claro pra nós se torna importante saber que tipo de entidade atua por essa vibração. Ou seja, se um determinado Orixá é da agua, terra, fogo ou ar.

Ainda que o conhecimento astrológico não permita generalizações simplificadoras, vimos que o Sol simboliza a consciência de si mesmo e o ascendente representa a imagem que mostramos ao mundo. Mas, não se iludam só com essas descrições tecnicas, porque uma coisa muito importante é analisarmos, qual ponto está mais forte ou evidente no mapa. Porque um ascendente fraco diante de um Sol muito forte, revelará uma imagem tambem solar, refletindo ao mundo a nossa essencia. É claro que o Ascendente, sempre continuará atuando como filtro, mas, de forma mais obediente ao Sol. Já quando o Ascendente é mais forte e o Sol, fraco, percebemos que a imagem mostrada pode ser a do Ascendente totalmente sem representar o reflexo da sua essencia interior. Assim encontramos muitas pessoas que tem uma Entidade de Frente mais evidente que o Pai de Cabeça e por isso se confunde nos terreiros.

Analisemos, agora, o papel da Lua.


No mapa astral, o signo e a casa onde a Lua se encontra revela, sobretudo, a estrutura emocional e psicológica dos indivíduos. Sendo assim, ela remete às experiências da infância e da adolescência, quando o senso de segurança de cada indivíduo estava sendo formado, na maioria das vezes, dentro de um núcleo familiar. E assim ela é uma grande esclarecedora da linha maternal e familiar, por isso assciada a Iemanja e sua falange.

Na carta natal de um recém-nascido, entre 0 e 2 anos, a Lua é o astro principal. Ela representa a mãe, sendo que nesta fase a consciência de vínculo junto a ela é ainda maior que a consciência de si mesmo, remontando à fase uterina.

Desta forma, a Lua é uma das principais referências para a compreensão da relação entre mãe e filho. Mas seu significado vai mais além: ela representa a vida familiar como um todo e as seguranças e inseguranças geradas por esta vivência. A Lua fala, portanto, do nosso passado e, em função dele, como tendemos a agir e reagir emocionalmente nas situações e nos relacionamentos que estabelecemos ao longo da existência. Mas, devemos lembrar que ela não age sozinha sobre nós, temos que observar a sua ligagação com o Sol e como é filtrada pelo Ascendente.

Ela é uma espécie de repositório de experiências de grande importância psicológica que, ao passar dos anos, estrutura a sua emoção e os seus sentimentos. Por outro lado, ela vai reger a vida doméstica e a família que pode ser formada após a saída da casa dos pais, trazendo as marcas e as alegrias da convivência obtida junto à mãe e ao pai. Quando buscamos entender o modo como um casal se relaciona, saber se há sintonia entre a Lua de uma pessoa e a de outra é crucial. Ela é, ainda, um ótimo significador de como funciona o humor de um indivíduo. Assim quando a Lua está mal no horoscopo e consequentemente a Vibratoria de Iemanja age desarmonicamente na vida do nativo ele terá a vida toda problemas relacionados com os sentimentos e as relações amorosas, Mas, como eu ja afirmei é importante que se olha a configuração do mapa como um todo.

Carlinhos Lima - Astrologo, Tarologo e Pesquisador.

Nenhum comentário: