quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Religião é uma necessidade?

Claridade no sentimento paz para humanidade
Religião é uma necessidade?


Claridade no sentimento e paz para a humanidade A religião é uma necessidade? Antes de relatarmos sobre o que seja a Butsuryu-Shu (HBS) é importante analisarmos porque o homem tem a necessidade de possuir uma crença, uma vez que só ele é capaz de te-la, se bem que surjam dúvidas a respeito do que venha a ser exatamente uma religião.
Existem pessoas que dizem que a religião é o ópio do povo, outras falam que é um meio de satisfação própria e outras, ainda, que a religião inutiliza o homem. Nesta Era de extraordinário progresso tecnológico, muitas acham que a religião é um artigo do passado.
Podemos dizer, que a religião existe como fator orientador da vida, e é por isso que todas elas se assemelham; mas estudando melhor a origem de cada uma delas verificaremos que se dividem em dois grupos distintos:
› Primeiro grupo: Aquela religião fundada pelo homem que adquiriu com sacrifício pessoal, os mistérios divinos; passando a pregar aos homens o sucesso de seus esforços
› Segundo grupo: Aquela religião que recebeu orientação direta do Céu (Deus), passando a ser considerada a fundadora dessa religião a pessoa que recebeu a mensagem divina.
A maior parte das religiões pertencem ao segundo grupo. Ao Budismo cabe o primeiro Desde já é importante declarar que não negamos a existência de um Ser Divino; é inegável também, que nos unimos pelos laços humanos e divinos para orientarmo-nos diante dos fatos e acontecimentos da vida diária. Como exemplo podemos citar o caso das crianças que irão pela primeira vez à escola. Há pais que lhes ensinarão o caminho com indicações verbais, deixando que elas se deparem com dificuldades e aprendam a defenderem-se sem o auxílio de outra pessoa.
Outros pais, pelo contrário, tomarão suas mãos e procurarão auxilia-las por todos os caminhos e diente de todos os problemas que possam eventualmente surgir.
O método correto será aquele que pela compaixão irá conduzi-las ao pleno êxito. De qualquer forma,
Fundamentalmente, a religião existe para que possamos criar novas forças e para que tenhamos mais ânimo para enfrentar as adversidades da vida.
Entre um homem religioso e um ateu, aparentemente não notamos diferença no comportamento diário, em tempos de paz. Uma vez em crise, surgem então, nitidamente, grandes diferenças de atitude entre aquele que crê em alguma religião e aquele que rejeita os ensinamentos religiosos. Portanto, diante de um mesmo fato será notória a grande diferença.
Em outras palavras, podemos dizer que aquele em que em tempos de paz procura, diariamente, fortalecer sua força espiritual com o objetivo de enfrentar os maus tempos com mais confiança e tranqüilidade é sem dúvida, um homem religioso. Quem normalmente tem uma vida equilibrada e regrada, enfrenta com mais tranqüilidade as doenças do que aquele que nunca teve cuidado com a própria saúde.
É melhor nos previnirmos contra o início de um incêndio do que nos desesperamos, em cima da hora, em busca do extintor quando ocorrer o sinistro.

Fonte:
http://www.budismo.com.br/revista/viewPagina.php?id=52&view=paginas&pageid=112

Nenhum comentário: