quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Filosofia da Bruxaria

Em 1974, O Conselho dos Bruxos Americanos adotou um grupo de Princípios da Crença Wiccaniana.

Leia-os cuidadosamente.

1. Praticamos ritos que nos sintonizam com os ritmos naturais das forças vitais sinalizados pelas fases da Lua e pelas mudanças e ápices das estações.

2.
Reconhecemos que nossa inteligência nos traz uma responsabilidade única em relação a nosso ambiente. Buscamos viver em harmonia com a Natureza, em equilíbrio ecológico, oferecendo um compromisso com a vida e a consciência dentro de um conceito evolutivo.

3.
Reconhecemos uma profundidade de poder muito maior do que é aparente para as pessoas comuns. Porque é bem maior que o ordinário, ela é algumas vezes chamada de “sobrenatural”, mas a vemos como parte potencial natural a todos.

4. Compreendemos que o Poder Criativo do Universo manifesta-se pela polaridade - como masculino e feminino - e que este mesmo Poder Criativo vive em todas as pessoas, e funciona mediante a interação entre o masculino e o feminino. Não valorizamos um acima do outro, sabendo que um é o suporte do outro. Valorizamos o sexo como prazer, como um símbolo e corporificação da vida, e uma das fontes de energia usada na prática mágica e culto religioso.

5.
Reconhecemos mundos exteriores e interiores, ou psicológicos, mundos algumas vezes conhecidos como o Mundo Espiritual, O Inconsciente Coletivo, Planos Interiores, etc. - e vemos na interação dessas duas dimensões as bases para fenômenos paranormais e exercícios mágicos. Não negligenciamos nenhuma dimensão em função da outra, vendo ambas como necessárias a nossa plenitude.

6. Não reconhecemos nenhuma hierarquia autoritária, mas honramos os que ensinam, respeitamos os que partilham seu maior conhecimento e sabedoria, e reconhecemos os que corajosamente dão de si mesmos em liderança.

7.
Vemos religião, magia e sabedoria de vida como unidas na forma pela qual uma pessoa vê o mundo e nele vive - uma visão do mundo e filosofia de vida que identificamos como Bruxaria - O Caminho Wiccaniano.

8.
Chamar a si mesmo de Bruxo ou Bruxa não faz de ninguém um Bruxo ou Bruxa - nem o faz a hereditariedade pura e simples, nem o colecionador de títulos, graus ou iniciações. Uma Bruxa busca controlar as forças dentro de si mesma que tornam a vida possível de forma que se viva sabiamente e sem prejudicar os outros e em harmonia com a Natureza.

9.
Acreditamos na afirmação e plenitude da vida em uma continuação da evolução e desenvolvimento da consciência, dando significado ao Universo que conhecemos e a nosso papel dentro dele.

10.
Nossa única animosidade em relação ao Cristianismo, ou em relação a qualquer outra religião ou filosofia de vida, é quando suas instituições proclamam ser “o único caminho” e buscam negar a liberdade de outros e suprimir outros caminhos de crença e prática religiosa.

11.
Como Bruxos Americanos, não somos ameaçados por debates sobre a história da Arte, as origens dos vários termos, a legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições. Nos preocupamos com nosso presente e futuro.

12.
Não aceitamos o conceito de mal absoluto, nem adoramos a entidade conhecida como “Satanás” ou “O Demônio”, como definido pelo Cristianismo. Não buscamos poder pelo sofrimento de outros, nem aceitamos que o benefício pessoal possa vir apenas por negá-lo a outra pessoa.

13.
Acreditamos que devemos buscar dentro da Natureza o que trará contribuição a nossa saúde e bem-estar.

Retirado do livro:
“O Livro Completo de Bruxaria do Buckland”
Raymond Bukland

Nenhum comentário: