quarta-feira, 30 de março de 2011

O vegetarianismo e a sua saúde


Na verdade, o ser humano não evoluiu para comer carne. Seu organismo é adaptado a uma dieta de vegetais. Nossos antepassados eram e nossos atuais parentes primatas mais próximos são vegetarianos. Assim, não é de causar surpresa que alguns de nossos problemas de saúde mais graves estejam relacionados ao consumo de produtos de origem animal.

Câncer

A carne vermelha é tida como o segundo maior agente causador de câncer, perdendo apenas para o fumo. Segundo os médicos, 35% de todas as mortes causadas por câncer se devem, em grande parte, à ingestão de produtos cárneos. Dados científicos comprovam que consumidores de produtos de origem animal apresentam maiores chances de contrair câncer de cólon, intestino, estômago (o que mais mata no Brasil), boca, faringe, mama e próstata, entre outros.

Males cardiovasculares
Carne, leite e ovos são ricos em gorduras saturadas e colesterol, substâncias que reconhecidamente podem ocasionar o surgimento ou agravamento de doenças cardiovasculares.

Artrite
Uma pesquisa concluiu que consumidores contumazes de carne e outros alimentos ricos em gordura animal apresentam incidência de artrite quase quatro vezes maior do que aquela encontrada entre indivíduos que mantêm uma dieta de baixo teor de gordura.

Obesidade
Na população americana, o índice de obesidade observado entre os não vegetarianos é quase 10 vezes maior que aquele encontrado entre os vegetarianos estritos. A obesidade é um fator de diabetes, câncer, cálculos renais e doenças cardiovasculares, entre outros males.

Ácido úrico
O ácido úrico resultante da digestão dos produtos de origem animal pode ser um fator de insuficiência e cálculos renais, podendo ainda agravar a situação de quem sofre de gota.

Aditivos químicos

O arsênico é um estimulante do crescimento bastante usado na criação de gado para aumentar artificialmente a produtividade dos animais. Esteróides, anfetaminas, tranquilizantes, antibióticos e centenas de outras drogas também são utilizadas com o mesmo fim. A carne, o leite e os ovos, mesmo quando já prontos para o consumo, seguramente podem conter resquícios destas substâncias.

Fisiologia humana
Os animais carnívoros possuem garras para apanhar a presa. Possuem dentes incisivos para cortar e prensar. Os molares são afiados. Seu tubo digestivo é muito curto e possui ácidos gástricos muito poderosos para desdobrar as proteínas. Já o homem, de forma oposta, não tem patas, nem garras, não possui pescoço longo, nem dentes côncavos. Seu tubo digestivo é longo, suas mãos são frágeis, adequadas para auxiliá-lo a subir em árvores, alcançar frutas, sementes, etc. Animais carnívoros apreciam comer a carne crua - sentem atração pelo sangue. O homem, entretanto, repele a carne crua, apenas a consumindo bem frita ou cozida.

Fonte:http://sejavegetariano.vilabol.uol.com.br/saude.html

Nenhum comentário: