quinta-feira, 27 de outubro de 2011

* O Barro(s) em Manoel


Gostaria muito que as pessoas tivessem o mesmo pensamento de Manoel de Barros quando diz: "O homem que deixou a vida por se sentir um esgoto, acho mais importante do que uma Usina Nuclear."
Hoje estou me sentindo um “esgoto", e talvez por me sentir assim, posso entender esse dialeto "manoelês" - "Aliás, o cu de uma formiga é também muito mais importante do que uma Usina Nuclear." - Sábias palavras Manuelito! - O senhor tem lindamente a graça de plantar os sentimentos nas palavras. É claro que nem sempre esses sentimentos podem ser dados como bons, mas quando os insignificamos, a simplicidade nasce trazendo felicidade à luz da esperança.

Shana Horta




[Acho mais importante que qualquer jóia pendente.

Os pequenos invólucros para múmias de passarinhos
que os antigos egípcios faziam
Acho mais importante do que o sarcófago de Tutancâmon.

O homem que deixou a vida por se sentir um esgoto -
Acho mais importante do que uma Usina Nuclear.
Aliás, o cu de uma formiga é também muito mais
importante do que uma Usina Nuclear.

As coisas que não têm dimensões são muito importantes.
Assim, o pássaro tu-you-you é mais importante por seus
pronomes do que por seu tamanho de crescer.

É no ínfimo que eu vejo a exuberância.]

Livro Sobre Nada – Manoel de Barros


Legenda

* Palvras – Chave: concreto – Barro(s) – poética.

Crédito

Imagem by: l8.deviantart.com

Nenhum comentário: